PUBLICADO EM: 30 DE ABRIL DE 2015

Os sindicatos de médicos subscritos, em reunião realizada na sede do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco, em Recife, no dia 24 de abril de 2015, após avaliarem conjunturalmente as condições de trabalho dos médicos, do movimento sindical médico e da saúde no Brasil,

Considerando o avanço da precarização das relações e das condições de trabalho dos médicos nos setores públicos e privados;

Considerando a falta de políticas permanentes e eficientes de Recursos Humanos que possibilitem a disponibilidade de profissionais médicos de maneira sustentável em todos os rincões do país;

Considerando as crescentes ações de desvalorização do trabalho médico, com grande prejuízo na qualidade de sua assistência;

Considerando a ineficácia das políticas de qualificação da formação de médicos no país;

Considerando a política de desestruturação do processo de pós-graduação médica (Residência Médica), prejudicando a boa formação de especialistas no país;

Considerando a crescente onda de transferência da gestão na saúde pública para Organizações Sociais e Fundações Públicas de Direito Privado;

Considerando a necessidade de uma organização sindical nacional forte e capaz de canalizar todos os anseios do mundo do trabalho da categoria médica, representativa de todas as regiões e organismos de base, presente no fortalecimento de cada entidade de base, não intervencionista, democrática, de grande ação política, apartidária, solidária com as demais entidades médicas brasileiras e com os movimentos dos demais trabalhadores do país e do mundo;

Considerando o avanço e sedimentação de políticas anti-democráticas na organização sindical médica nacional;

Considerando a existência de ações intervencionistas da atual direção da FENAM nas organizações regionais sindicais brasileiras;

Considerando a necessidade de intervenção permanente dos médicos, de maneira propositiva, nos grandes debates sanitários e políticos do país;

Deliberou-se pela necessidade premente da criação de uma entidade federativa que possa responder a todas essas demandas, bem como o fortalecimento de bandeiras de luta dos médicos, da medicina e da saúde no país.

Assim, os sindicatos médicos que subscrevem, deliberam pela criação da FEDERAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA – FMB, entidade médica sindical nacional, com lançamento marcado para 21 de maio de 2015, na cidade de São Paulo.

A hora é agora, momento de transformar a história da organização sindical médica brasileira em uma história de homens e mulheres compromissados com a categoria e, sobretudo, com saúde de qualidade para a população brasileira.

Recife, 24 de abril de 2015.

Subscrevem o manifesto os seguintes sindicatos médicos: Pernambuco, Alagoas, Ceará, Paraíba, Santa Catarina, Niterói, São Paulo, Santos, Campinas, Tocantins, Mato Grosso, Anápolis, Acre, Pará, Rondônia, Roraima e Amapá.